Depoimento – Imigração Canadá – Ansiedade, College e Liberdade – Natália e Marilia

Neste vídeo, a Natália e a Marilia contam suas experiências de vir para o Canadá

Natália: Eu sou Natália, tenho 31 anos, sou de Salvador e psicóloga.

Marilia: Eu sou Marilia, tenho 31 anos também e sou publicitária de Salvador.

Como tudo começou?

Natália: Pensamos que seria interessante sair do Brasil para ter uma melhor qualidade de vida, enfim, conhecer outro país, e então a gente decidiu qual seria a primeira coisa a ser feita.

Natália: A gente começou a fazer um curso de francês em 2012 e em 2013 uma amiga nossa, brasileira, que está morando aqui a um tempão, foi visitar a família e os amigos em Salvador e ficou falando para a gente vir para cá, e ai em 2013 a gente resolve vir para o Canadá, para Montreal, para ficar na casa dela e fazer um curso intensivo de francês de um mês. Todo dia a gente tinha aula, foi super bacana, a gente adorou, foi nossa primeira viagem internacional juntas, enfim, foi bem legal essa experiência.

Natália: Quando a gente voltou, uma coisa aconteceu e a gente deixou esse plano um pouco em stand by. Isso voltou com muita força, e a gente começou a se organizar financeiramente, a pesquisar, entrar em contato com instituições, com agências, e focamos muito nisso.

Natália: Mudamos a nossa vida completamente, saímos da nossa casa, enfim, fomos fazer tudo o que seria interessante para poder economizar e focar mesmo. Foi isso que fez com que a gente chegasse aqui nesse momento atual.

Como foi o planejamento:

Natália: Começamos a fazer pesquisa na internet, de instituição e de agência, e aí até uma agência que tem em Salvador, mandei e-mail, perguntei algumas informações, e eles “apareçam aqui! “ Convidaram a gente para ir lá, nós fomos e eles receberam a gente super bem. E aí acordamos que teria que ser um curso em francês, e um curso que eu pudesse trabalhar né, no caso o curso seria para mim, eu queria trabalhar com idoso, alguma coisa com relação a cuidado.

Natália: Quando a gente recebe o primeiro e-mail dessa agência, a gente recebe um e-mail completamente equivocado com informações de um curso em inglês, e aí isso já me deixou assim completamente pra baixo porque eu falei “como é que pode? A gente chega, vai pessoalmente, pede uma informação, e aí a coisa mais básica a língua do curso” e aí já veio errado. Então eu já criei uma antipatia imediata.

Natália: Foi aí que eu descobri na internet a Planet, e comecei a pesquisar o que os clientes, as pessoas que já conheciam a Planet estavam falando da Planet, e a gente só ouviu coisas boas e positivas. E aí no nosso primeiro contato, fiz um e-mail super detalhado, e aí eu recebi uma resposta, sabe me senti sendo abraçada de verdade, fiquei muito confortável. Me senti sendo cuidada, ainda mais porque eu estava arrasada depois desse primeiro contato com essa agência que foi péssimo. E aí eu falei pronto.

Marilia: Acho que a gente sentiu mais segurança né, e aí a gente resolveu seguir em frente porque a gente se sentiu segura, sentiu que a gente recebeu as informações certas de uma forma bem fácil de entender. Porque assim, as vezes quando você está mudando de vida em um projeto bem grande desse, aí você fica muito ansioso, nervoso, então assim muita gente virava para a gente e falava para a gente “Ah, mas por que vocês vão contratar uma agência? Por que vocês não fazem sozinha? “ .

Marilia: Não que a gente não pode fazer, mas foi muito confortável poder ter um auxílio, porque é um momento da vida que você está passando por muita tensão, então você tendo um suporte é muito mais fácil.

Natália: Eu verdadeiramente não me arrependo de nenhuma forma, inclusive eu sempre indico a Planet quando eu conheço pessoas, amigos que querem, e depois que a gente veio outras pessoas começaram a se interessar. Eu não sei como seria possível isso se ter contratado a Planet, e de verdade eu não consigo nem imaginar como seria esse processo de documentação, de entrar em contato com o college, enfim, isso realmente mudou o nosso processo, que não deixou de ser tenso e delicado.

Natália: Tinha semanas que a gente estava no pico da ansiedade, tinha semanas que a gente já estava mais tranquila, mas assim sempre inclusive que eu entrava em contato por Skype, por e-mail, por whats app, eu recebia uma resposta.

Natália: Eu sei que as vezes não era possível de imediato porque tem outros clientes que tem ai, deve ter um critério de urgência e tal, mas assim, sempre me senti realmente acolhida e atendendo as minhas expectativas.

Marilia: E outra coisa que eu acho bacana também é essa coisa do detalhe, que a gente estava até conversando sobre isso outro dia, é acho que a Planet ela faz o excesso, do tipo: vamos cobrir todas as vias e dar mais do que pedem para poder a chance de a resposta ser positiva ser mais alta. E eu sinto isso, e eu gosto disso, sabe? Eu acho que sozinhas a gente deixaria de enviar coisas que pode não parecer importantes para a gente, “Ah isso é bobagem”, sabe? E aí o caminho poderia ter sido diferente.

Natália: Mas enfim, eu acho que é justamente isso, vamos pecar pelo excesso se for o caso, porque é um investimento, acho que não só financeiro, mas energético mesmo, que a pessoa faz, abre mão de muitas coisas, foca muito nesse projeto. Então vamos pecar pelo excesso, vamos mandar 20 páginas disso, vamos traduzir não sei quantas disso. Enfim, eu gosto desse excesso de cuidado assim mesmo, de atenção.

O quê mudou?

Natália: Nós tínhamos a expectativa de que muita coisa ia mudar na nossa vida, e realmente mudou. Nós somos um casal, e só do fato de você estar vivendo em um país né, em uma cidade, em que as pessoas não vão olhar estranho, que você não vai se sentir inibida simplesmente por andar do lado da sua esposa, isso não tem preço né, isso é maravilhoso.

Marilia: Com certeza.

Natália: A segurança, e não só porque somos um casal, mas por sair, poder sair meia noite, pegar o transporte público, e que quase sempre vai passar na hora que está ali dizendo que vai passar mesmo. Eu acho que isso são as coisas mais interessantes, e por mais que a gente já tivesse essa expectativa de achar isso aqui, de encontrar isso aqui, ainda enche os olhos quando você olha para uma coisa tão básica que antes dava tanto trabalho.

Marilia: E que na nossa cidade era tão precário. Eu acho que para mim as primeiras impressões, as melhores são essas: se sentir segura andando na rua, ter um transporte público de qualidade que eu acho que comparando com nossa cidade de Salvador é fantástico. E foi isso basicamente que a gente veio buscar e a gente está gostando muito.

Natália: A cidade tem muitas flores, tem muitas árvores. As pessoas aqui podem ser o que elas querem, tem cabelos de todas as cores, de todos os cortes, andam com todas as roupas, e ninguém fica olhando estranho ou achando estranho. As pessoas dançam na estação do metro, as pessoas cantam no meio da rua, e isso é simplesmente maravilhoso, é normal, não é uma pessoa esquisita. Isso é ótimo.